RiotZone chega ao Brasil

Em RiotZone, mercenários se enfrentam no fictícia republiqueta Merânia | Arte: Divulgação

Em RiotZone, mercenários se enfrentam no fictícia republiqueta Merânia | Arte: Divulgação

 

Nesta quinta-feira, desembarca em terras tupiniquins um novo jogo, daqueles que a imprensa adora conectar com “formação” de psicopatas. O sanguinário RiotZone, desenvolvido pelo Grupo Mail.Ru, foi lançado no Brasil. O game é gratuito e roda no seu navegador de internet (MMOG). Qualquer pessoa pode sentir na pele como é ser um soldado com fortuna e comandar mercenários que lutam pela independência de Merânia, um país tropical! RiotZone é um jogo de estratégia com controle indireto, no qual o jogador desempenha o papel de coordenador e observador. Na batalha, o jogador fica responsável por influenciar o resultado, utilizando munição, socorrendo soldados e chamando apoio aéreo no momento certo. As batalhas procedem por formação abrangente e o desenvolvimento do personagem, recrutamento e treinamento de novos soldados, construção do acampamento, busca e aquisição, bem como criação e modernização de armas e equipamentos. Essas são apenas algumas das tarefas estratégicas que devem ser administradas pelos jogadores contratados para lutarem pela independência da republiqueta, controlada por um ditador.

 

No game, todos os jogadores vão encontrar algo que gostam, podendo se concentrar no treinamento do seu personagem e criação do equipamento, se envolver mais no desenvolvimento da base e formação de novos mercenários, se dedicar na guerra contra os adversários controlados pelo computador ou ainda se lançar no meio de batalhas 1×1, 5×5 ou em massa, contra outros jogadores, realizadas diariamente. Só os melhores líderes vão conseguir direcionar toda a sua energia para socializar, criar e gerenciar clãs, levando-os para topo da liga.

 

A aventura pode ser jogada de graça e foi lançada oficialmente hoje no país | Arte: Divulgação

A aventura pode ser jogada de graça e foi lançada oficialmente hoje no país | Arte: Divulgação

 

Para entrar no mundo cheio de batalhas do jogo, é preciso acessar o site oficial e se cadastrar. Não é necessário fazer download e instalação do game – o usuário pode começar a jogar diretamente através do seu navegador preferido. As configurações mínimas recomendadas se aventurar em RiotZone são:

• Adobe Flash Player versão 10.2 ou mais recente;
• Navegador Internet Explorer, Firefox, Google Chrome, Safari ou Opera;
• Internet banda larga;
• Resolução de tela de 1024×768 pixels ou mais.

 

Quem quiser, também pode acompanhar os canais oficiais de comunicação de RiotZone no Brasil, seja no Facebook ou no Twitter. E aí? Vai encarar, aspira?

 

Já pensou em ter seu próprio exército de mercenários? | Arte: Divulgação

Já pensou em ter seu próprio exército de mercenários? | Arte: Divulgação

A II Guerra Mundial no Facebook

Sweet Geek | www.sweetgeek.com.br
 

Que tal se houvesse um jeito melhor de entender as matérias “chatas” dos tempos de escola? O professor Paulo Alexandre, do HistóriaBlog imaginou como seria todo o desenrolar da II Guerra Mundial se houvesse Facebook naquela época. Do estopim a partir da expansão do nazismo às invasões de territórios, os exílios, as adesões de países de ambos os lados do conflito e até a participação do Brasil na guerra.

Tudo isso é explicado em um infográfico bem grande, é verdade, mas que deixa tudo bem explicado e dá vontade de estudar mais os detalhes. E pra quem gosta de armas e ciência, há referências ao Projeto Manhattan e às bombas atômicas lançadas em Hiroshima e Nagasaki, no Japão.

 

A Segunda Guerra Mundial no Facebook | Arte: HistóriaBlog

A Segunda Guerra Mundial no Facebook | Arte: HistóriaBlog