Para um supercomputador, uma supergambiarra | Foto: Reprodução

Raspberry Pis conectados viram supercomputador

Para um supercomputador, uma supergambiarra | Foto: Reprodução

Para um supercomputador, uma supergambiarra | Foto: Reprodução

O Raspberry Pi é um computador de mão – do tamanho de um cartão de crédito – desenvolvido pela Fundação Raspberry Pi. O projeto é de cunho educacional, e a máquina é feita em cima de apenas uma placa, possibilitando que escolas tenham máquinas para educar crianças ocupando pouco espaço e a um custo baixíssimo: cada “framboesa” do modelo mais potente custa apenas US$ 35 (cerca de R$ 69,45). A configuração não chega a impressionar, mas como ninguém vai usá-los pra jogar um Assassin’s Creed, por exemplo, vale a pena.

 

Eis que alguém teve uma ideia sensacional para ampliar a capacidade de processamento do pequeno Raspberry Pi: colocar vários deles, conectados com peças de Lego coladas nas placas! E os responsáveis por essa maravilha da tecnologia (e da gambiarra) são engenheiros da computação da Universidade de Southampton (Inglaterra). Eles compraram 64 das maquininhas e as colocaram para trabalhar. Usando Lego, criaram uma “estante” para o supercomputador que ajuda a conectar os Raspberry Pis. E por si só, isso já os fez criadores do computador mais nerd de todos os tempos! Além das peças e conectores, foi necessário desenvolver um software que interpretasse as 64 “framboesas” como sendo apenas uma máquina, baseada em Linux. O custo total da iniciativa foi de cerca de 4 mil dólares (aproximadamente R$ 7.936), o que também torna o “Framboesão” um dos supercomputadores mais baratos que se tem notícia.

 

A equipe de sete pesquisadores é formada por Richard Boardman, Andy Everett, Steven Johnston, Gereon Kaiping, Neil O’Brien, Mark Scott e Oz Parchment. E a ideia do Lego veio do filho do Professor Simon Cox, James, de apenas 6 anos (galeria abaixo, foto do meio). A capacidade do supercomputador pode não ser brincadeira de criança, mas prova de uma vez por todas que a união de pequenas máquinas – em tamanho e capacidade – torna-as bastante potentes quando unidas. Há um vídeo (em inglês) mostrando a montagem do “Framboesão”, e você pode conferir aqui mais fotos do supercomputador:

Comentários