Grande Prêmio de Portugal

Em Portugal o interesse pelos desportos motorizados tem vindo a diminuir ao longo do tempo. Para tal muito terão contribuído as diversas crises do petróleo e o fim das corridas de Fórmula 1  que se realizavam no circuito do autódromo do Estoril, cujo nome oficial é Autódromo Fernanda Pires da Silva,  e que abrigou durante 12 anos o Grande Prêmio de Portugal. A última corrida para este campeonato mundial nele realizada foi em 1996, ano em que o circuito já denotava a necessidade de obras urgentes.

No entanto, e desde então, mesmo apesar das obras realizadas, a F1 nunca mais voltou a Portugal.

Nova esperança do seu regresso surgiu com a decisão política de construir o Autódromo Internacional do Algarve. Este autódromo, localizado no conselho de Portimão ficou concluído em 2008 tendo sido homologado pela F.I.M. e pela FIA no mesmo ano. No entanto, a sociedade de gestão financeira inicialmente criada, veio mais tarde a declarar falência.

Na F1, e até hoje, apenas quatro portugueses conseguiram o acesso a esta competição automobilística tão restrita: Mário “Nicha” Cabral, Pedro Matos Chaves, Pedro Lamy e Tiago Monteiro. O primeiro disputou 4 Grandes-Prêmios, o segundo participou em 14 pré-qualificações e Pedro Lamy nas 32 provas em que participou foi o primeiro português a alcançar um ponto na F1. Tiago Monteiro, ao volante de um Jordan, foi no entanto o piloto que alcançou o maior feito de todos os portugueses conquistando um brilhante 3º lugar. E por sorte nesse ano você vai poder apostar nos portugueses através da maior casa de apostas do mundo a www.bwin.com/pt.

Se por um lado a presença e participação destes  pilotos na F1 fez recrudescer o entusiasmo por esta modalidade do desporto motorizado, por outro, as sucessivas crises económicas levaram a que este interesse tenha progressivamente diminuído com o tempo.

Este cenário parece no entanto poder vir a ser modificado, dada a possível aposta da equipe Red Bull de F1 no jovem piloto português António Félix da Costa, recente vencedor da Taça Intercontinental de Fórmula 3, em Macau.

Esta inclusão, a realizar-se, voltaria a colocar a F1 na agenda de política desportiva portuguesa conduzindo certamente a um aumento de apostas na F1 da Bwin devido ao acréscimo de entusiasmo e de adeptos que o jovem tem vindo progressivamente a conquistar.

Comentários