Lista: 5 acessórios para proteger smartphones

Após adquirir um smartphone para facilitar a vida com suas ferramentas proficientes, a próxima compra é a de artigos para a proteção desse objeto. Afinal, basta um descuido para a quebra do aparelho, que pode custar até oito mil reais. Além do prejuízo financeiro, é difícil viver sem todos os apps e facilidades presentes nesses dispositivos. Atenta às novidades mundiais, a Gorila Shield, empresa especializada em acessórios para smartphones, selecionou alguns produtos que, além de preservar os telefones, funcionam de maneira curiosa e criativa, como capinhas futuristas a películas super-resistentes.

1. Capinha Ninja
Os tentáculos podem parecer que o artigo saiu de quadrinhos do Homem–Aranha, mas a invenção funciona como uma heroína que salva o celular de se despedaçar no chão em caso de queda. Criado por um engenheiro alemão, esse artigo funciona como um airbag e é essencial para quem vive derrubando o telefone de grandes alturas. A capa possui oito molas amortecedoras que são acionadas quando os sensores presentes no objeto percebem que estão sendo vencidos pela gravidade. Depois, é só recolher as perninhas e torcer para que elas não precisem trabalhar mais. O invento ainda não é comercializado, mas já rendeu um prêmio da Sociedade Alemã de Mecatrônica ao seu criador.
 
2. Películas para todas as superfícies
Com as evoluções dos smartphones, as câmeras ficaram cada vez mais potentes e com alta qualidade, proporcionando imagens surreais. Elas também cresceram, de modo que ficam sobressaltadas nos aparelhos, o que pode proporcionar riscos e arranhões indesejados. Pensando nisso, foram desenvolvidas películas protetoras específicas para as lentes que deixam os celulares devidamente protegidos. No site da Gorila Shield há diversos modelos para todas as marcas, incluindo as películas de tela e traseiras, que são feitas de vidro, nano gel e fibra de carbono.

3. Registros nas alturas
Conhecida como Selfy, essa capinha faz jus ao nome e possibilita selfies incríveis, que captam o cenário ao redor com perfeição. Com câmera Full HD que tem alcance de treze metros, ela se transforma em um drone para filmar ou fotografar sessenta quadros por segundo. Com encaixe para smartphones de tamanhos entre quatro e seis polegadas e quatro hélices dobráveis, o produto foi desenvolvido pela AEE Aviation Technology e pode ser comprado apenas online.

4. Um olho no gato e outro no peixe
Para aqueles que gostam de assistir aos seriados favoritos no celular e ainda se preocupam com a segurança, essa capa clip é a melhor escolha. Ela funciona de modo 3 em 1:  na parte traseira, onde fica o case principal, há um revestimento de silicone e um suporte que permite o apoio dos celulares em superfícies, o que evita escorregões e cãibras nas mãos ao ver um episódio. A tampa clip fecha o produto cobrindo a tela dos dispositivos. Para evitar furtos, o prendedor na parte frontal pode ser acoplado em bolsas e cintos, a fim de garantir maior proteção aos usuários e evitar a perda ou roubo. O produto está disponível para os modelos Moto Z2 Play e Moto Z2, com previsão de novos lançamentos no site.

5. Carregador wireless
A vida corrida e conectada requer uma bateria que dure pela eternidade, mas, enquanto essa não é a realidade dos smartphones, o carregador Wi-Fi é uma solução. Basta deixar o celular próximo ao objeto que ele carrega a bateria pela rede sem fio. Além de não usar cabos conectores, pode ser usado até como porta-canetas na mesa de trabalho.

Segundo dados da Samsung, os brasileiros desembolsam de dois a oito mil reais para terem celulares de último lançamento. Para aumentar a utilidade e a proteção desses aparelhos, a Gorila Shield comercializa cabos, carregadores portáteis e veiculares, tripés e bolsas protetoras exclusivas.

Fonte: www.gorilashield.com.br

Proibição dos cassinos: formas de contornar a lei

Vem criando grande polêmica a discussão sobre a possibilidade de liberação dos cassinos e jogos de azar, um tema que na maior parte dos países europeus e americanos não tem nada de mais nem é notícia, mas que no Brasil é considerado uma questão social nacional. Nos outros países tem uma indústria de diversão, tem leis regulando e ninguém ouve falar que as sociedades estejam colapsando sob o peso do vício. De qualquer forma, mesmo se no Brasil a lei não avançar, quem quiser mesmo jogar tem várias formas de o fazer. Já pensou?

Jogar no cassino online

Essa é a mais acessível. Qualquer pessoa com um computador ou celular com internet pode se ligar no NetBet Casino ou em outra plataforma, se cadastrar e começar jogando em poucos minutos. As empresas estão baseadas fora do Brasil, logo isso nada tem de ilegal.

Punta del Este

Esse resort uruguaio, a que muitos chamam de Mônaco da América do Sul, inclui cassinos em seu leque de diversões. Não é à toa que muitos brasileiros voam para lá; podem ter uma experiência de cassino legal e “legal”, com o conforto, a tranquilidade e a proteção que a lei oferece, sem precisarem se esconder e sabendo que o cassino não vai ter maracutaia para prejudicar seu usuário. De resto, tem muito para ver e visitar na zona.

Cataratas de Iguaçú

Que excelente viagem essa, também! Todo brasileiro deveria poder visitar Iguaçú pelo menos uma vez na vida, e sentir a força e a beleza da natureza, nesse local incrível. As maiores cataratas do mundo parecem realmente construídas em uma outra escala.

Mas como se pode jogar no cassino, ali? Mais fácil não podia ser. Nossos vizinhos argentinos e paraguaios, sabendo da proibição, construíram cassinos ali bem pertinho da fronteira, em Puerto Iguazú e Ciudad del Este, respectivamente. Você só tem de cruzar, e é tão perto que quase pode ir a pé sem problema. O legislador brasileiro bem poderia ficar reclamando dessa pegadinha, mas na Argentina e no Paraguai mandam as autoridades de lá, certo?

Ir jogar no alto-mar

Esse é certamente o jeito mais romântico. Pegar um lindo navio de cruzeiro, navegar tranquilamente sob o sol, e esperar as portas do cassino se abrirem logo que o navio esteja fora das águas territoriais brasileiras, e por isso fora do alcance da legislação também.

Las Vegas, Mônaco…

Sim, nem tínhamos falado nos destinos clássicos! Mas esses já você conhece bem, não é mesmo?

Cards Against Humanity ganha versão brasileira

João amava Teresa que amava… Asfixia autoerótica?! Não é bem assim que o famoso poema segue, mas essa é uma dentre milhares de combinações oferecidas pelo Patuscada, jogo de cartas brasileiro inspirado no americano Cards Against Humanity, líder mundial de vendas da Amazon na categoria. Por meio da combinação de perguntas com as respostas mais esdrúxulas possíveis, a ideia é criar cenários absurdos, engraçados e até politicamente incorretos. Continue lendo…

Histórias incríveis de Cassino

Os cassinos sempre rendem boas histórias, principalmente quando os apostadores conseguem ganhar algum dinheiro com as suas apostas. Como nós sabemos que vocês adoram ler sobre essas histórias curiosas e interessantes trouxemos então 3 histórias relacionadas com cassinos para você se divertir lendo. Então vamos a isso!

A vovó que ganhou jogando dados

Quais são as chances reais de você jogar dois dados ,154 vezes seguidas, e não conseguir uma numeração igual a sete? Raras, ou melhor, raríssimas! Especialistas fizeram essas contas e a probabilidade disso acontecer é uma em 1,56 trilhões, é muita coisa!
Mas não para a aposentada americana Patricia Demauro que superou essa probabilidade em um Cassino nos Estados Unidos, jogando 154 vezes o par de dados sem conseguir nenhuma pontuação 7. A façanha durou 4 horas e 18 minutos e quebrou o recorde mundial de jogo de dados, como é óbvio.
A aposentada não quis revelar quanto ganhou mas os especialistas estimam que ela tenha levado algumas centenas de milhares de dólares ou até mesmo alguns milhões se ela tiver apostado alto.

O britânico que apostou tudo na roleta e… GANHOU!

No ano de 2004, em um desses reality shows que promovem os jogos de cassino um jogador de origem britânica, Ashley Revell, vendeu tudo o que tinha, inclusive seus relógios, sapatos e roupas e apostou 135,300 mil dólares em uma única jogada na roleta. Ele apostou no vermelho, que paga 2 para 1 e sabe onde a bola parou? No 7 vermelho! Ele então dobrou o valor apostado e saiu com nada mais nada menos que 270.600 mil dólares. O cassino inteiro ficou esperando ele pegar todo o dinheiro e fazer outra aposta maluca mas sabe o que o britânico fez? Pegou todo o seu dinheiro, deu 600 dólares para o dealer em forma de agradecimento e simplesmente foi embora, a escolha mais certa. Revell gastou o dinheiro para criar a própria empresa com foco no jogo de poker online, a famosa Poker UTD.

A aposta que salvou a FedEx

Todo mundo conhece a famosa e bem sucedida empresa FedEx, mas nem todo mundo sabe que o fundador salvou o nome da empresa em uma aposta de 5 mil dólares em Las Vegas. Três anos depois de abrirem a empresa, em 1971, ela foi a falência pois estava perdendo cerca de 1 milhão de dólares por mês. Em uma época as coisas iam tão mal que tudo que a empresa tinha era 5 mil dólares de crédito então, ao invés de ir para casa, o fundador da empresa pegou esse dinheiro e foi direto para Las Vegas. Na segunda feira todo mundo se assustou porque o saldo da empresa ficou positivo e conseguiram pagar todas as dívidas e continuar trabalhando. Alguns dias depois o fundador conseguiu arrecadar mais 11 milhões de dólares e a empresa foi só subindo até chegar ao sucesso que tem hoje em dia. O fundador tem, hoje, uma fortuna estimada em 2 bilhões de dólares.

Viram como os jogos de cassino podem se transformar em grandes histórias de sucesso? Isso tanto na roleta, como no blackjack, nos caça níqueis e muito mais. Teste você também as suas habilidades nos caça níqueis e jogue uma partida grátis nessa página e tente a sua sorte. Pode ser que você seja o próximo milionário ou bilionário do mundo!

Total Publicações lança vending machine de revistas

A Total Publicações, empresa do Grupo Abril responsável pela distribuição de revistas, acaba de inaugurar, em parceria com o Grupo Edicase, sua primeira vending machine de revistas. Localizada em São Paulo, no bairro do Morumbi, a máquina oferecerá aos leitores 41 títulos, entre eles VEJA, Época, CLAUDIA, Galileu, Manequim, quadrinhos Turma da Mônica e Coquetel. Os preços de venda serão os tradicionais de cada marca, já praticados nas bancas e demais pontos de venda.
Osmar Lara, diretor Comercial da Total Publicações, explica que a iniciativa tem como objetivo oferecer mais uma opção de ponto de venda aos leitores, que além da banca, estão acostumados a comprar revistas em mercados, farmácias e lojas de conveniência. “O grande destaque dessa máquina é que ela será abastecida com títulos novos diariamente e a parceria com vários editores, entre eles Abril, Edicase, Ediouro, Globo e Grupo Caras, possibilitará uma oferta variada de publicações para os mais diversos perfis de consumidores”, diz.
Nos próximos meses outros equipamentos serão instalados na capital paulista. Uma equipe de inteligência de mercado da empresa fará a seleção dos títulos que serão disponibilizados em cada máquina, de acordo com perfil do consumidor de cada região.