Instagram passa a armazenar fotos em alta resolução

Instagram iniciou o armazenamento de fotos em alta resolução nesta semana | Foto: Reprodução

Instagram iniciou o armazenamento de fotos em alta resolução nesta semana | Foto: Reprodução

O Instagram começou a armazenar imagens em alta resolução. O padrão da rede social sempre foi de 640 x 640 pixels. Mas, com a mudança, que pode ser vista desde a última sexta-feira (3), as fotografias postadas são salvas em 1080 x 1080 pixels. A novidade já pode ser verificada no código-fonte da versão web.

Apesar de a timeline do Instagram no celular ainda não mostrar as imagens no novo formato, os usuários interessados já podem conferir a mudança. Para confirmar que as fotos estão em alta resolução, basta clicar na foto, abrir o código da página, digitar “Ctrl + F” e pesquisar por “.jpg”. O primeiro resultado deverá ser a URL da versão maior da imagem. O endereço indica que as fotos estão sendo armazenadas em 1080 pixels.

É importante notar que as fotos estão em tamanho grande, e não se tratam de 640 pixels esticados. Procurado, o Instagram confirmou a atualização e ressaltou que não está apenas subindo fotos em 1080 pixels, mas também mostrando em alta resolução.

Com informações do Techtudo

Gostou do post? Compartilhe no Facebook!

Tinder do Apple Watch usa batimentos cardíacos para dar match

Hands-Free Tinder dá 'match' na rede social pelos batimentos cardíacos do usuário | Foto: Divulgação

Hands-Free Tinder dá ‘match’ na rede social pelos batimentos cardíacos do usuário | Foto: Divulgação

Já pensou poder dar “match” em alguém no Tinder sem sequer usar as mãos? Com um novo experimento desenvolvido para o Apple Watch, isso é possível. A tecnologia, criada pela agência americana digital T3, mede os batimentos cardíacos do usuário através do smartwatch para determinar se ele curtiu ou não a foto do(a) pretendente.

Chamado de Hands-free Tinder, o aplicativo consegue detectar se a frequência cardíaca da pessoa aumentou enquanto ela observava a foto, e se sim, ele automaticamente dá like. Porém, se o coração do usuário não bateu mais forte ao ver as imagens da outra pessoa, o app dá o “nope”, característico do programa.

Apesar de ainda não ter previsão para ser lançado, a T3 garante que o software chegará em breve às lojas da Apple. Além disso, a empresa criadora do aplicativo está planejando uma versão específica do programa para os usuários de relógios inteligentes com Android Wear.

Com informações do The Next Web

Gostou do post? Compartilhe no Facebook!

Anatel leiloará 4G da faixa de 700MHz neste mês

4G brasileiro opera em faixa diferente de grandes mercados | Foto: Reprodução

4G brasileiro opera em faixa diferente de grandes mercados | Foto: Reprodução

O novo leilão de banda larga móvel de quarta geração destinará ao 4G brasileiro faixas que tornarão a rede do país compatível com a de outros 20 países, inclusive a dos Estados Unidos, segundo informações da 4G Américas, associação de operadoras que monitora a adoção da tecnologia pelo mundo. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou o edital do leilão na última semana, que será realizado em 30 de setembro.

Os seis lotes da frequência de 700 Megahertz (MHz) renderão ao governo, pelo menos, R$ 7,7 bilhões. As faixas do espectro são como rodovias por onde os dados trafegam. Por enquanto, os dados do 4G no Brasil são transmitido pela frequência dos 2,5 Gigahertz (GHz), que foi leiloada em 2012 e rendeu aos cofres públicos R$ 2,9 bilhões, um ágio de 31,27%.

Hoje, a “estrada” dos 700 MHz não está livre: circula por ela o sinal de canais de TV. Por isso, as empresas que levarem cada lote do 4G terão ainda que pagar a retirada desses serviços, o que deverá resultar custos extras estimados pela Anatel em R$ 3,6 bilhões. A tecnologia utilizada no Brasil para banda larga móvel de quarta geração já é a mesma de outros 45 países pelo mundo, como a vizinha Colômbia, o Japão e os europeus Alemanha, França, Portugal e Espanha. Isso quer dizer que smartphones ou tablets com tecnologia 4G comprados no Brasil também acessarão a rede de banda larga móvel desses países. Aparelhos 4G comprados nesses países também funcionarão na rede brasileira.

Com a abertura da faixa dos 700 MHz para o 4G, 20 países passarão a ter rede compatível com a brasileira. Entre eles estão os Estados Unidos, o maior destino de turistas brasileiros. A lista inclui também Bolívia, Porto Rico, Nova Zelândia, Irlanda, Croácia e Líbano. Desde que o 4G começou a ser implantado no Brasil, em abril do ano passado, 18 países passaram a destinar a faixa dos 2,5 GHz para a internet de alta velocidade de quarta geração. Um deles foi a China, onde pacotes 4G passaram a ser vendidos em dezembro de 2013.

Em alguns casos, a adoção do 700 MHz no Brasil fará com que a compatibilidade seja reforçada, pois, além dessa faixa, os países já utilizam a dos 2,5 GHz. Será o caso, por exemplo, de Rússia, da Alemanha e Portugal. Em comparação às velocidades do 3G, as taxas de conexão do 4G chegam a ser até dez vezes maiores. Enquanto o máximo alcançado pelo primeiro é 21 Megabits por segundo (Mbps), a nova tecnologia chega a oferecer até 100 Mbps e apresenta médias de 50 Mbps.

As faixas destinadas ao 4G possuem diferenças entre si. Enquanto a frequência de 2,5 GHz transporta dados mais pesados, a de 700 MHz cobre territórios mais amplos. Isso ocorre porque quanto maior a frequência, menor seu alcance e maior a sua potência. A diferença na capacidade de cobertura também afeta a instalação de infraestrutura. Para cobrir uma mesma localidade, são necessárias mais antenas na faixa de 2,5 GHz do que estações de rádio-base de 700 MHz. É isso que torna a frequência que será leiloada em setembro tão atrativa comercialmente.

Com informações do Portal A8

Gostou do post? Compartilhe no Facebook!

Evolução dos gráficos de video games

Caso você tenha sido uma criança dos anos 90, acompanhou direitinho essa evolução e poderá desfrutar de um momento de nostalgia agora. Caso você não tenha sido criança nos anos 90, poderá se surpreender ao ver o quanto os gráficos de vídeo games evoluíram em tão pouco tempo. Admire a evolução dos gráficos de video game, desde 1991 até 2011:





















Quanta diferença, hein?

Imagem de um possível smartwatch da Samsung | Foto: Reprodução

Samsung estaria produzindo relógio inteligente

Smartwatches são a nova menina dos olhos das fabricantes | Foto: Reprodução

Smartwatches são a nova menina dos olhos das fabricantes | Foto: Reprodução

Pouco depois de rumores darem conta que a Apple estaria preparando um relógio inteligente, é a vez de um suposto smartwatch da Samsung chamar a atenção. Imagens do que seria a tela do produto foram divulgadas nesta sexta-feira (15). Curiosamente, o aparelho não roda o Android, comum aos smartphones da companhia sul-coreana, mas sim um sistema operacional próprio – provavelmente o Samsung Altius (ou Altios), como aparece nos printscreens abaixo.

Telas de um suposto smartwatch da Samsung vazaram na internet | Foto: Reprodução
t
elas de um suposto smartwatch da Samsung vazaram na internet | Foto: Reprodução

As imagens foram divulgadas pelo site Android Authority. No entanto, os primeiros rumores sobre o lançamento de um relógio inteligente da Samsung começaram a ser divulgados na última quinta-feira (14), quando iniciaram-se especulações sobre um novo produto da linha Galaxy. Agora, com o vazamento destas imagens, a teoria ganhou ainda mais força – especialmente pelo fato de, supostamente, a Apple também estar criando o seu próprio smartwatch, que seria chamado de iWatch. As fotos não revelam muita coisa, porém há alguns detalhes a serem levados em conta: o primeiro, claro, é o sistema operacional diferente do Android e a logo Samsung Galaxy Altius, que pode ser tanto referente ao software como também ao nome do produto. Há algum tempo, houve especulações de que este seria o codinome de um novo gadget da empresa, que muita gente esperava que fosse o Galaxy SIV.

Outro detalhe interessante é o esquema de exibição de conteúdo semelhante aos Live Tiles do Windows Phone. Também é possível perceber que o suposto smartwatch ofereceria opções de reprodução de música, leitura de mensagens e sistema de mapas, além de ser compatível com chips de operadoras de telefonia móvel. Obviamente, a Samsung não confirmou os boatos envolvendo a produção de um possível relógio inteligente. Porém, a expectativa é de que a companhia faça anúncios de alguns novos produtos na feira MWC, que acontece no fim do mês em Barcelona.

Até agora, a única das grandes companhias que entrou no mercado dos smartwatches foi a Sony, que já está na segunda geração. O primeiro foi o LiveView, compatível com Android 2.1 e que não chegou oficialmente ao Brasil. O mais recente lançamento na área foi o SmartWatch, que custa lá fora US$ 91,99 (cerca de R$ 180). Veja mais fotos:

Com informações do TechTudo