Bungie Foundation presenteia criança que fez transplante

Um usuário do fórum Reddit publicou na última semana que seu filho de 5 anos havia acabado de passar por um transplante de fígado e estava muito debilitado. Ele questionou se alguém teria o contato da empresa Bungie Foundation, desenvolvedora do game Halo, pois o menino era fã da saga e gostaria de qualquer tipo de incentivo para auxiliar sua recuperação. A resposta da produtora foi a mais positiva possível: enviou uma réplica do capacete do personagem principal de Halo Reach.

 *-*

Além do capacete em tamanho real do personagem Carter, do Halo Reach, a Bungie Foundation enviou ao hospital em que o menino estava internado um representante com um cartão assinado por diversos membros da equipe de desenvolvimento do jogo.

Após a visita do representante da empresa, o pai voltou ao fórum para agradecer, publicando algumas fotos da entrega do presente e detalhando como seu criança ficou feliz com a surpresa. “Eu sei que eles (Bungie) tiveram um grande impacto na recuperação do meu filho após a cirurgia”, revelou.

Megaupload está de volta!

Em poucos anos, o Megaupload voltará ao ar”. A promessa, feita no início de 2012, pelo fundador do serviço de compartilhamento de arquivos Kim Dotcom será cumprida antes do previsto. Já neste final de semana, Dotcom estreia o Mega, seu novo produto para hospedagem de arquivos na nuvem.

O lançamento do novo Mega ocorrerá na mansão de Dotcom, em Auckland, Nova Zelândia, neste sábado, numa coletiva de imprensa para jornalistas do mundo inteiro.
O serviço deve ficar disponível para todos os usuários em algum momento da madrugada de sábado para domingo no endereço http://mega.com.nz/

Pelo Twitter, Dotcom já antecipou algumas características do Mega. A mais importante delas é o sistema que vai criptografar os dados que o usuário armazena no serviço. Desse modo, só o usuário terá uma chave para abri-lo.

Dotcom, portanto, poderá dizer que não consegue saber se o arquivo armazenado é um vídeo com conteúdo protegido ou uma música com copyright. E, mesmo que a justiça americana o obrigue a entregar os dados, ele entregará arquivos criptografados, sem muita utilidade para quem não detém a chave de abertura do arquivo, que ficará nas mãos apenas de quem postou o arquivo.

Com a tecnologia, acredita Dotcom, juízes não poderão processá-lo por armazenar dados piratas ou participar de quadrilhas especializadas em pirataria. No passado, juízes americanos usaram arquivos hospedados no Megaupload para sustentar as acusações de pirataria que levaram ao fim do Megaupload.

Bastante espaço

Outro “segredo” antecipado por Dotcom foi o espaço que será liberado no Mega para os usuários compartilharem seus arquivos: 50 GB. O tamanho é bem superior ao oferecido pelos concorrentes de maior sucesso, como o Google Drive e o Dropbox (que oferecem, respectivamente, 5 GB e 2 GB de espaço de armazenamento).

O Mega promete uma estratégia agressiva nos planos pagos. Dotcom já anunciou mais de uma vez que ele cobrará um preço menor do que os concorrentes. E ele não esconde o motivo: quer retomar a liderança no mercado de serviços de armazenamento. Dotcom planeja ainda uma manobra para fazer o novo Mega nasces com milhares de usuários. Ele e seus advogados negociam com a Justiça para migrar os antigos clientes e arquivos do Megaupload para o Mega.

Música[bb]

Junto com o Mega, Dotcom pode anunciar o Megabox. O serviço seria um concorrente para o iTunes e o Google Play, além de competir com produtos de streaming, como Spotify e Pandora. A ideia do Megabox seria ajudar os artistas a distribuir suas músicas sem ter que passar por gravadoras. E, ainda, livrá-los das altas comissões cobradas pelo Google e Apple: que podem chegar a 90% do valor da música em alguns casos.

O usuário do Megabox, diz Dotcom, pagará um preço bem baixo para salvar seus álbuns no serviço e poder acessá-los de celulares e computadores.